Cicatrizes

Cicatriz  ocorre a partir da lesão da derme em consequência de uma lesão, trauma  ou corte cirúrgico. Além do impacto estético, as cicatrizes podem também comprometer o funciamento e proteção de órgãos. A cirurgia de correção de cicatriz tem como finalidade tentar melhorar a aparência de uma cicatriz, deixando menos perceptível.

Indicação:

  • Cicatrizes de acne
  • Cicatrizes alargadas ou com o aspecto indesejável
  • Cicatriz hipertrófica, ou seja, cicatriz elevada, rósea, limitada a bordas da ferida, com coceira e dor.
  • Queloide ou seja, cicatriz elevada, rósea e que invade tecido vizinho e continua crescendo muito além da cicatriz, dando aspecto inestético. Geralmente pode ter coceira e dor no local. E esses sintomas indicam que o queloide continua crescendo.  Independe da técnica cirúrgica e está mais relacionada a cicatrização do individuo, por isso pode recidivar.
  • Cicatriz de queimadura
  • Cicatriz pós-trauma ou pós cirúrgica

Correção de Cicatrizes de Acne:


Pacientes com acne apresentam incidência aumentada de cicatrizes que correspondem a 90% da face e 40% do tronco. A partir do sexto mês de acne, ocorre um aumento progressivo das cicatrizes. Os pacientes geralmente possuem vários tipos, formas e profundidade de cicatrizes, por isso, o tratamento consiste em uma associação de técnicas para correção de cada tipo de cicatriz. 

Atualmente, existem vários tratamentos que podem ser utilizados e a indicação de cada um deles depende de cada caso. As técnicas que podem ser utilizadas são:

Peeling químico: consiste na utilização de ácidos superficiais, médios ou profundos com o objetivo de renovar a pele, melhorar manchas, textura e uniformidade da pele. Quanto mais profundo o peeling, melhores são os resultados, porém, maior é o tempo de recuperação. 

Subcisão: é uma técnica que consiste na introdução de uma agulha sob as cicatrizes para liberação das fibroses que puxa a cicatriz para baixo. É utilizada quando se deseja elevar cicatrizes deprimidas e estimular a formação de tecido colágeno no local.

Excisão e sutura simples: consiste na retirada das cicatrizes com bisturi e anestesia local. É indicada em casos de cicatrizes irregulares e profundas. Geralmente é o primeiro procedimento a ser realizado.

Enxerto de pele (punch enxerto): é utilizado nas cicatrizes deprimidas. Sob anestesia local, retira-se pele de uma área doadora (atrás da orelha) e introduz a pele na cicatriz que foi previamente retirada. Esse procedimento é permanente, ao contrário do preenchimento com ácido hialurônico, porém, a pele pode ficar elevada, sendo necessário, posteriormente, igualar essa pele.

Dermoabrasão: consiste no lixamento da pele e, geralmente, é indicado para cicatrizes mais deprimidas e profundas. O procedimento é realizado sob anestesia por ser doloroso. É o procedimento que apresenta melhores resultados, porém, a recuperação após o procedimento é demorado e pode deixar manchas escuras ou brancas, se não for feito por especialista treinado. 

Microagulhamento: consiste no uso de um rolinho com centenas de micro-agulhas que promovem micropunturas na pele com a finalidade de estimular o colágeno, melhorar cicatrizes, rugas e renovação celular. É indicado também para tratamento de fotoenvelhecimento, estrias e outros tipos de cicatrizes.

Laser não-ablativo: é utilizado para estimulação de colágeno, melhorando as cicatrizes deprimidas. Geralmente é utilizado em associação com o laser ablativo para um melhor resultado.

Ressurfacing com Laser ablativo: essa técnica é semelhante à dermoabrasão, sendo a remoção da pele feita pelo laser. É indicada para cicatrizes deprimidas de bordas bem marcadas. Podem-se utilizar os lasers ablativos: Erbium ou laser de Co2. A profundidade do tecido a ser removido é controlada pelo aparelho. 

Preenchimento cutâneo: utilizam-se preenchedores com ácido hialurônico em cicatrizes deprimidas que desaparecem quando a pele é esticada. Esta substância é injetada por baixo da cicatriz, elevando-a. Esse efeito pode durar cerca de 1 ano.

 

Correção de cicatriz hipertrófica e queloide:

Primeiramente, a cicatriz deve ser tratada clinicamente com corticoterapia , placas de silicone ou medicamentos que diminuem a fibrose (bleomicina e 5-fluoracil) para diminuir a proliferação do tecido antes de se realizar algum tipo de cirurgia. Logo após pode-se remover a cicatriz cirurgicamente. O resultado final da cirurgia só ocorre em um ano, neste período o paciente deve manter acompanhamento porque mesmo após a cirurgia pode ser necessário manter o tratamento clínico já que o queloide pode voltar.

 

Outras cicatrizes:

Cicatrizes alargadas, pós cirúrgias, pós trauma ou cicatrizes por queimadura e catapora podem ser melhoradas com lasers (laser ablativo e não ablativo), peelings, microagulhamento e cirurgias.

"O médico especialista deve conhecer as expectativas de cada paciente e todas as técnicas de correção para uma melhor resposta terapêutica. Já o paciente, deve ter paciência e saber controlar sua ansiedade, já que o tratamento é demorado", afirma a Dra Marcela Benez.

 

 

voltar para Tratamentos CIRÚRGICOS

center fwR bsd b03s c10nwse|center bsd b03s c15nwse|center|||image-wrap|news c15|normalcase uppercase bsd fwR b03s c15nwse|b01 c05 bsd|news login c05 normalcase uppercase|tsN normalcase uppercase c15nwse bsd b03s|b01 normalcase uppercase bsd c10|content-inner||